Instituto Acqua firma parceria com VilaMundo para criação de Moeda da Vila Madalena e ganha imagem do artista Kobra para lançamento

09 de Junho de 2017

A partir de arranjos criativos locais, projeto estimula o desenvolvimento local ao implantar moeda própria para uso em diversos estabelecimentos da Vila Madalena e Avenida Paulista, em São Paulo (SP)

Com uma história construída junto à comunidade, desenvolvendo projetos que incentivam o desenvolvimento socioeconômico dos locais onde atua, o Instituto Acqua dá mais um passo nessa direção ao firmar parceria com o site VilaMundo, desenvolvido pelo Catraca Livre e Cidade Escola Aprendiz, para lançar a Moeda da Vila Madalena a partir da formação de arranjos criativos locais. O projeto começa na próxima quinta-feira (15/6), no Armazém da Cidade, que fica na Rua Medeiros de Albuquerque, 250, Jardim das Bandeiras.

Para marcar esse lançamento, o grafiteiro Eduardo Kobra, um dos mais renomados artistas de rua do mundo, cedeu o grafite “A Bailarina”, desenhada na Rússia, para ser estampada em camiseta com edição limitada. Os recursos obtidos com a venda da peça serão revertidos em melhorias para a Vila Madalena. A primeira ação de melhoria será num escadão ao lado do Armazém da Cidade, onde Kobra fez uma pintura com o rosto do compositor Tom Zé.

A partir de duas regiões da cidade de São Paulo, a Vila Madalena e a Avenida Paulista, o projeto pretende implantar os chamados arranjos criativos locais com o uso de uma moeda própria. Bares, restaurantes, lojas, ateliês e até serviços, entre outros estabelecimentos nessas áreas, poderão dar descontos para quem usar a Moeda da Vila Madalena. Em fase de implantação, o recurso será utilizado por qualquer pessoa com um smartphone conectado à internet. Com a moeda virtual, por exemplo, será possível comprar a camiseta com a estampa do grafiteiro Kobra com 50% de desconto.

“Os arranjos criativos são uma experiência que gera a possibilidade de inclusão cultural, digital e social, além de geração de renda. É um modelo de tecnologia social que pode ser replicado por todo o Brasil e que começa, em junho, na Vila Madalena e Avenida Paulista”, explicou Gilberto Dimenstein, jornalista e fundador do Catraca Livre, uma das entidades parceiras do Instituto Acqua. Para ele, a iniciativa do Instituto vai ampliar o desenvolvimento local ao ser adotada gradualmente entre os diversos atores sociais da comunidade.

O lançamento do projeto acontece após o Instituto Acqua completar 18 anos, em maio. “Estamos cada vez mais reforçando nosso papel de devolver para a sociedade benefícios e recursos que ampliam as oportunidades de geração de renda e de qualidade de vida. Acreditamos no potencial das comunidades como alavanca do desenvolvimento local e temos certeza que esse projeto ainda vai beneficiar pessoas em muitas cidades”, afirmou o diretor-presidente do Instituto Acqua, Ronaldo Querodia.