Criança de 3 anos da cidade de Guimarães recebe atendimento especializado de ortopedia no Hospital Regional Dr. Jackson Lago

19 de Junho de 2017

Vítima de atropelamento passou por consulta e exames na unidade de saúde e atendimento foi elogiado por mãe do paciente

Resultado de mais um atendimento humanizado e especializado no Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago, em Pinheiro (MA), o caso de Derick Ruan dos Anjos Dias, de apenas três anos, teve um desfecho positivo. Vítima de um atropelamento no último dia 24 de maio, na cidade de Guimarães, distante 204 quilômetros da Capital maranhense, a criança recebeu alta médica após ser atendida pelas equipes da unidade de saúde.

A criança recebeu os primeiros atendimentos no hospital do município de Guimarães e foi encaminhada, por meio da Central de Regulação de Leitos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), ao Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago, unidade especializada em atendimentos de média e alta complexidade, como era o caso do pequeno Derick, e sob gestão do Instituto Acqua em parceria com a SES. O garoto chegou ao hospital com suspeita de fratura no fêmur, em 25 de maio, e foi imediatamente encaminhado para avaliação da equipe ortopédica. Por meio de exame de raio-x, os profissionais comprovaram a fratura.

“Após o acidente, fomos ao Hospital Regional, em Pinheiro e fomos bem atendidos nas duas vezes em que estivemos lá. Só temos a agradecer a todos. Quero logo ver meu filho dançando, que é o que ele mais gosta de fazer”, declarou a mãe do paciente, a dona de casa Roseane Farias dos Anjos, 23 anos.

A diretora geral da unidade de saúde, Denise Boás, afirmou que as equipes que trabalham no hospital têm se empenhado diariamente para ofertar um serviço de excelência à população. “No segundo atendimento na unidade nos disponibilizamos para buscar a criança e sua mãe para a realização da consulta de retorno. Enquanto estavam em deslocamento, mobilizamos o setor de ortopedia para receber o paciente, avaliar o caso e emitir um parecer”, detalhou.

O ortopedista Antônio Ribeiro, que fez o atendimento no garoto Derick no último fim de semana, explicou o procedimento. “Está tudo normal. Ele teve uma fratura de fêmur e foi realizado tratamento adequado com alinhamento da fratura e colocação de gesso pelvipodálico, indicado para casos como esse”, detalhou o médico.

Ele explicou que, após o primeiro procedimento, a criança retornou em 21 dias para avaliação e, após novo exame de raio-x, o profissional realizou a mudança do gesso para imobilizar o joelho e o tornozelo. O médico também fez o controle radiológico, utilizado para avaliar o tempo de consolidação da fratura. No próximo dia 2 de julho, a criança retornará à unidade para nova avaliação que verificará a possibilidade de retirada total do gesso.

Além do caso do pequeno Derick, a equipe de ortopedia do Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago realizou de forma inédita, no último dia 9 de junho, a primeira cirurgia de osteomatia valgizante em uma criança. O procedimento corrigiu uma má formação congênita nas pernas do paciente.